Blog de Metempsicose De Um Cura


21/04/2013


O Maior Festival Religioso Do Mundo

 
Promovido pelo brahmanismo uma vez a cada doze anos, reuniu em 2013, a impressionante aglomeração de 70 milhões de pessoas em Allahabad na Índia. Ilusões de fé estratificadas há milhares de anos que levou uma nação inteira a miséria, a sujeira e a estagnação. A crença que por um simples banho no sagrado Rio Ganges, teriam seus pecados perdoados e nesse dia encontrariam a Deus... O intrigante, é que os Sadhus, aqueles que praticam o Sadhana, o caminho da iluminação, é uma correria selvagem exclusiva de milhares de homens nus em direção ao rio. As mulheres só assistem. Estudo o brahmanismo e suas derivações há 40 anos, e não encontro o menor sentido nesta abnegação. O homem foi colocado na terra para ser feliz e desfrutar dos prazeres que lhe foram oferecidos. Pelo menos é assim que interpreto essa menção de felicidade no Gênesis. Não acredito que estas práticas ascéticas egoístas, possam livrar alguém dos ciclos reencarnatórios, porque dizem respeito somente a eles e, não incluem o amor ao semelhante, como forma de se manter a unidade em Deus e a humanidade espiritualmente coesa . E, tenho minhas dúvidas se esse encontro com Deus, não passa de mera ilusão de um praticante completamente alienado a imponderável fé e as opiniões de seu Guru que vive as suas custas, assim como os clérigos orientais e ocidentais. Encontramos nessa reportagem uma vaidade acima dos limites desses Sadhus que se submetem as essas mortificações, com a intenção notória de impressionar aos outros. Portanto:" Cuidado com o que a sua religião possa estar fazendo a você ". O controle mental diabólico sobre as religiões do mundo, as utilizam para programar, dominar e escravizar. A National Geographic, fez uma reportagem de 1:20 hora sobre isto, mas aqui inseri uma de apenas dois minutos e vinte e cinco segundos.
Aloisio Santos frc

 

http://www.youtube.com/watch?v=HtlTGHpYDY0

Escrito por Aloisio Santos FRC às 19h42
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

12/10/2012


http://www.youtube.com/watch?v=gJa9cgX30f4

Escrito por Aloisio Santos FRC às 18h23
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

28/09/2012


Este vídeo escroto faz parte de conspiração judaico americana para instigar os muçulmanos a violência e varrê-los de vez da face da terra. Este é o princípio do Armagedom. Não deixe o mal invadir sua consciência e Assista antes que seja retirado da Net, já que um juiz de São Paulo multou o Google em 2,8 milhões e deu dez dias de prazo para que seja retirado do youtube. Após o prazo, terão que pagar 10 mil reais por dia de multa.

http://www.youtube.com/watch?v=d4MH2oyGtNE

Escrito por Aloisio Santos FRC às 09h12
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

28/07/2010


                                                                                                                                                                                                                                                                     Holocausto 2012 – Parte XVIII – As Últimas Tragédias
Aloisio Santos FRC – Escritor, Pesquisador de ocultismo e frater rosa cruz
aloisiosantos.frc@uol.com.br


Nos últimos anos, temos observado acontecimentos que abalaram a estrutura do mundo, como o atentado de onze de setembro de 2001, às torres gêmeas do World Trade Center, símbolo do perverso controle capitalista. Alguns acreditam em uma conspiração inexplicável, ao acusarem a inteligência americana e o Mossad, o serviço secreto israelense, co-autores responsáveis pela articulação dessa catástrofe, justificando dessa forma uma invasão ao Iraque, destituindo Sadan Houssein do poder, e garantindo o controle do petróleo iraquiano aos USA e Israel.
    Utilizaram a Usama Bin Laden, o baluarte da resistência afegã americana, contra a invasão soviética, e a Al Qaida como testas de ferro, indicando suas participações. O mundo tomou conhecimento que as famílias sauditas Bin Laden, são sócias nos negócios petrolíferos ao lado da família Bush, e culparam a Sadan Hussein pelo atentado as torres gêmeas, alegando a posse de armas químicas, gazes de combate e desenvolvimento de tecnologia nuclear. Essa ação militar judaica americana foi um vilipendio a inteligência humana, pois essas armas jamais foram encontradas.
       Estaríamos diante de síndromes paranóicas de teorias conspiratórias? Ou realidade... Ao acusarem a CIA e o Mossad, de planejar os atentados terroristas nos USA?  Alguns invocaram novamente os Protocolos de Sião   que tratam de uma conspiração judaica de implementação do “Império do Ouro” que voltou a ser disseminada logo após os atentados. Notícias escritas nas entre linhas, pela imprensa internacional (as não judaicas) apontavam os judeus por detrás dos ataques às torres gêmeas do WTC, em Nova York, e ao prédio do Pentágono em Washington. (Vide o documentário, Fahrenheit 9/11 de Michael Moore, cineasta americano).
      Algumas versões davam conta que não haviam sequestradores nos aviões usados nos atentados ao WTC. As aeronaves foram conduzidas aos alvos por comandos teleguiados, e no caso do pentágono, nem vestígios de fuselagem de avião haveriam sido encontrados, ao sugerir um disparo de míssil a curta distância... Atingiu um setor isolado do prédio, previamente preparado para receber o míssil, sem ferir ou matar uma só pessoa...
      O plano seria uma vingança ao mundo árabe, e mais uma etapa da política expansionista judaica. Lembremo-nos que no arco do parlamento em Tel-Aviv está gravado a cinzel o seguinte objetivo: “O território do reino do Rei Davi vai do Nilo ao Eufrates”.  Os judeus ao pretenderem recuperar esse vasto território, só o conseguiriam se varressem os árabes da face da terra. As notícias partiram principalmente das nações árabes e muçulmanas, e assim como todo boato (ou realidade), se espalharam rapidamente pelo mundo. Algumas informações chamaram atenção a um dado intrigante: 4000 judeus que trabalhavam no WTC teriam sido aconselhados a faltarem ao emprego no dia 11 de setembro, e admoestados a prestarem cultos nas sinagogas, em homenagem aos atletas israelenses mortos no setembro vermelho de 1972 nas Olimpíadas de Munique. Se toda essa conspiração israelense para derrubar as torres gêmeas não passarem de boataria, cortesia a essa guia espiritual e prevenção profética dos rabinos de Nova Iorque, afastando a comunidade judaica do WTC... Se possuíam essa onisciência, porque não avisaram as autoridades americanas do desastre que iria suceder..? A desconfiança da participação direta dos judeus nos atentados é compartilhada por alguns intelectuais, políticos e analistas americanos, que não engolem facilmente essas intromissões estrangeiras. A grande conspiração não parou por aí...    O sucesso de tal empreitada seria atribuído a determinados capitalistas europeus, judeus e americanos influentes, avidamente interessados nessas guerras. Magnatas do petróleo, acionistas das fábricas de armas e indústrias de apoio da América corporativa expandida. Destaque para Donald Rumsfeld secretário da defesa de Bush, judeu americano, e acionista da maior fábrica de armas dos EUA. Em 25 de Novembro de 2006, Janis Karpinski, ex-general, responsável pela prisão iraquiana de Abu Ghraib entre julho e novembro de 2003, afirmou que foi o ex-secretário de Defesa americano, Donald Rumsfeld, quem autorizou as torturas de presos no Iraque. Esse é o poder oculto mundial que está levando o mundo rapidamente e a passos largos ao Inferno do Armagedom. Não perca na próxima edição Parte XIX, a continuação das Últimas tragédias.

 

Protocolos Dos Sábios de Sião - Mais uma vez os controversos Protocolos. Verdadeiros ou Falsos?  Analisando sob a ótica de que as maiorias dos meios de comunicações do planeta estão nas mãos dos judeus, seria fácil negar e dissimular que, um dia determinadas cabeças pensantes do universo judaico, haveriam elaborado atas e textos de reuniões deliberadas a estabelecerem princípios de dominação mundial. Se não foram eles que escreveram os protocolos, aproveitaram bem a sugestão para se tornarem os donos do mundo. Alegam que os textos dos protocolos, foram escritos pela Okhrana, a polícia de inteligência do Czar Nicolau II da Rússia, antes da revolução Bolchevique. Sem discussões se deveriam ou não ser responsabilizados pela autoria desses textos, o que notamos é essa dominação mais presente do que nunca. É inacreditável como um povo exótico e minúsculo perseguido ao longo dos milênios, conseguiu atrair para si tanto ódio e tanto racismo pelos outros povos. Como a voz do povo é a voz de Deus... E, a maioria acredita nesse imperialismo do capitalismo judaico, leva-nos a crer que é bem possível que os Protocolos foram escritos mesmo por eles, por que arrastaram o planeta a essa miséria generalizada em que se encontra hoje. 
 
 
 

 
 


           

Escrito por Aloisio Santos FRC às 08h04
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

                                                                                                                                                                                                       Holocausto 2012 – Parte XVI – O Livro De Enoch
Aloisio Santos FRC – Escritor, Pesquisador de Ocultismo e frater rosa cruz
aloisiosantos.frc@uol.com.br


O Livro de Enoch foi considerado apócrifo pelos primeiros padres, mas em síntese é a fundamentação de todo o cristianismo ou paulinismo, como preferem os ocultistas. As influências do apóstolo Paulo e Clemente de Alexandria, ambos os mestres iniciados, foram determinantes para que os cristãos se tornassem como os vemos hoje, não obstante, também escrevessem por alegorias e parábolas que interpretadas equivocadamente, assim como a Bíblia de maneira geral, levaram o cristianismo a esse caos sectário, dividido em uma infinidade de seitas. Não podemos falar em fim de mundo sem considerarmos a visão gnóstica, e deixar de mencionar o divino Mestre da Galiléia, Jesus. Vamos nos ater ao Cap. III V - 7 a 10 - 2ª Epístola de Pedro no novo testamento, transcrito do Livro de Enoch:
- Mas os céus e a terra, que agora existem, são guardados pela mesma palavra (O Verbo) e reservados para o fogo no dia do juízo e da perdição dos homens ímpios. 8. Há, porém, uma coisa, caríssimos, que não deveis ignorar, é que um dia diante do senhor é como mil anos (diante dos homens) e mil anos (diante dos homens) é como um dia (diante do senhor). 9. Não retarda o senhor a sua promessa, como alguns pensam, mas usa de paciência convosco, não querendo que nenhum pereça, mas que todos se convertam a penitência. 10. Mas, como um ladrão virá o dia do senhor, no qual passarão os céus com grande estrondo e, os elementos com o calor se dissolverão e, a terra e todas as obras que há nela serão queimadas.
    Sublinhamos o final do V 10 para que percebam a importância da palavra CALOR, e a destruição de todas as obras que há na terra. Vamos continuar com a transcrição do V 11 em diante, para chegarmos ao ponto que nos interessa:
Dever de não nos prendermos ao mundo e praticarmos a santidade:
    11. Portanto, visto que todas estas coisas estão destinadas a serem desfeitas, quais vos convém ser em santidade de vida e sem piedade, 12, esperando e correndo ao encontro da vinda do dia do senhor, no qual os céus ardendo, se desfarão e, os elementos com o ardor do fogo se fundirão? 13. Porém esperamos, segundo a sua promessa, novos céus e uma nova terra, nos quais habite a justiça.
    Ao sublinharmos, notamos que o profeta faz um questionamento se os elementos da terra se fundirão? Só podemos imaginar ao fundirem-se os elementos: terra, ar, fogo e água, se consumariam através das ações de forças titânicas, hecatombes inimagináveis, ou uma terrível guerra nuclear. Nem mesmo os profetas, ao receberem dos instrutores no transe de suas visões do fim dos tempos, compreendiam as dimensões, por que provavelmente desconheciam as forças ou a tecnologia empregada nesses fenômenos... Blavatsky afirma que sempre que se aproxima o desfecho do Ano tropical (25868 anos), ele aparece como o Soter, o mesmo que salvador. Neste caso, destruição pressuposta para 2012.  O Espírito de Verdade, sempre que retorna com suas legiões deixa alguma obra grandiosa ou monumento, como o complexo de Gisé em uma de suas passagens há 12.934 anos, em sinal de lembrança a humanidade que, está atento a todos os nossos movimentos. Nessas misteriosas obras deixam profecias que gritam desesperadamente à nossa consciência a necessidade de redenção da humanidade para que sejamos protegidos de novas catástrofes.
     Deus: “Ordenou todas as coisas em números, pesos e medidas” Livro da Sabedoria, Cap. 21.
       E, também lemos no Apócrifo Eclesiástico, Cap. I - V - 9:
     “Ele as criou no Espírito Santo (mente divina), e as viu, contou e mediu”.
    Tudo que existe no universo está quantificado em números, pesos e medidas; desde a mais ínfima partícula, até o maior dos corpos celestes, e nada acontece em forma de inércia ou movimento que não esteja correlacionado pelas ciências matemáticas e geométricas, apesar do aparente caos. Essa é a razão dos antigos e principalmente do iniciado Platão, afirmarem que:
“O Arquiteto do Universo Geometriza”.
    Todos os movimentos siderais desde a criação do universo até a implosão em si mesmo no final do ciclo, retornando a massa de energia primordial, estão quantificados e mensurados. Dessa forma os complicados sistemas equacionais facilitaram a condução dos cosmologos ao Big Bang, a explosão original que iniciou a formação do universo há 14 bilhões de anos. Ao quantificarem a compactação da luz, apontando seus telescópios em direção ao passado, verificaram a contração da energia e matéria, retrocedendo numericamente no tempo, até a explosão primordial.
        Através da Cosmologia Hindu, fonte inspiradora, os cientistas verificaram que a energia latente que existe em Brahma, quando liberada na criação do universo, toma a forma de Maya (ilusão), que assim é captada por nossos sentidos.    No final desse ciclo, as Energias destroem esse universo, Dia de Brahma, três trilhões de anos. Esta filosofia alimentou a teoria do Big Craunch, segundo a qual o Cosmos depois de um período de expansão, passaria por um período de contração (A Noite De Brahma), que o levaria à condição original e a um novo Big Bang. Não perca na próxima edição de Holocausto 2012, o epílogo do Livro de Enoch.

 
 

 

 

 
 

 

Escrito por Aloisio Santos FRC às 07h56
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

                                                                                                                                                                                                Holocausto 2012 – Parte XV – O Livro de Enoch
Aloisio Santos - Escritor, pesquisador de ocultismo e frater rosa cruz
aloisiosantos.frc@uol.com.br.


Um dos maiores enigmas do mundo religioso ocidental está contido no Livro De Enoch. Este livro é ignorado pela maioria dos teólogos e líderes que comandam essas igrejas patriarcais e seus clientes. Das suas misteriosas páginas resplandeceu a história da epopéia humana do princípio ao fim dos tempos. Delas, apareceu a maior parte das transcrições do Livro do Apocalipse, alegorias e parábolas do novo testamento.  A Escatologia Cristã (doutrina do fim) é pródiga em profecias de fim de mundo, principalmente através do livro das revelações. A palavra Apocalipse tem no significado grego - Revelação e os seus textos em sua maioria foram extraídos do Livro de Enoch. Esse era o nome do livro para os hebreus; Hermes para os gregos e Thoth para os egípcios. Ele, só pode ser interpretado corretamente com um conhecimento eficaz da Kaballah caldéia egípcia. Quem escreveu o livro de Enoch?  Existem elos comuns entre as sagradas escrituras e outros livros hieráticos deixados por civilizações antigas. Resguarda profundos mistérios relativos à natureza, simbolizados em seus textos. “Ai... de quem divulgar ilegalmente as palavras sussurradas ao ouvido do Manushi pelo Primeiro Initiator:
O Livro de Enoch esclarece quem foi esse primeiro instrutor:
 “Deles (os anjos) eu ouvi todas essas coisas, e compreendi o que vi, e o que vai suceder, não nesta geração, mas em outra geração que há de vir em época distante conforme divulgaram os eleitos” (Os Iniciados). (6ª e 7ª, raças), Doutrina Secreta V.5 pg. 59.
Onde se lê anjos, entendam-se os pais da humanidade que vieram das estrelas. Os passos da epopéia humana foram registrados na luz astral, desde antes da fundação do mundo, e no paradoxo entre livre arbítrio e um destino compulsório residiriam os mistérios, mas acima de tudo evolução. Somente com suas sete chaves de interpretações, simbólicas, verbais, astronômicas, numéricas e criptográficas, os iniciados obteriam uma compreensão perfeita das revelações. Enoch deriva da palavra sânscrita Enochion que significa olho interno, (onisciência). Os historiólogos modernos são reticentes em aceitar a autoria de João, e justificam-se: o livro foi traduzido de uma cópia grega em 68 DC; época em que João estaria muito velho para escrevê-lo, ou mais provavelmente morto. O Livro de Enoch foi encontrado pelo aventureiro inglês, tal de Bruce, na antiga Abissínia (Atual Etiópia), em língua etíope e traduzido pelo Arcebispo Lawrence em 1821, do exemplar existente na Biblioteca Bodleyana de Oxford. As muitas passagens do novo testamento, principalmente no livro de atos e alguns textos das epístolas são plágios ou transcrições literais desse magnífico livro. O Apocalipse, como as demais escrituras remanescentes do Livro de Enoch foram traduzidas por homens muito bem intencionados, mas que desconheciam as sete chaves de interpretações e, portanto, nem mesmo sabiam ao que se referiam; interpretavam-no a sua capacidade de compreensão, acreditando que o faziam sob a Inspiração do Espírito Santo. Não foi incluído no Canon Judaico, porque os judeus, ou melhor, as sinagogas, principalmente na figura do famoso rabino Simeon Ben Yochai a quem se atribui eminência de iniciado nos mistérios ocultos, os velavam dos olhos profanos. Os judeus tinham verdadeiro horror e repudiaram o Livro de Enoch, por se tratar dos textos que mais dão testemunho do messias ab rogado [destruído, renegado] por eles. E como dizia Tertuliano:
- “Os judeus o renegaram juntamente com todas as demais escrituras que se referem a Cristo”.
Sempre desprezado, julgando-o um livro de magia, mais do que uma obra de cunho cabalístico, os judeus equivocaram-se em suas interpretações do Livro de Enoch ao possuírem só três das sete chaves, insuficientes para a correta compreensão. Nesse livro invoca-se o poder de anjos responsáveis pelo equilíbrio das forças da natureza. Na realidade conjunções planetárias, que controlam as direções e forças dos ventos, oceanos, magnetismos, granizos, raios, trovões e todas as manifestações naturais. Esses mesmos equívocos foram cometidos pelos primeiros padres e teólogos das primitivas igrejas cristãs, ao tentarem interpretar o Apocalipse, criando essa parafernália profética desprovida de sentido, principalmente protestantes e evangélicas. O Livro dos sete selos mencionado no Apocalipse só pode ser aberto pelo Logos Divino, em sua emanação como Jesus O Cristo. A ninguém a não ser a ele, foi dada a autorização, e o direito de abrir os selos. Cada selo é uma das sete chaves criptográficas, e representam grandes atribulações para a raça humana. Essa civilização estúpida e arrogante, que caminha a passos céleres para esse trágico holocausto. Enoch narra a vitória final do Cristo sobre a morte, e a aniquilação definitiva do mal na superfície da terra. Não perca na próxima edição a continuação do Livro De Enoch.

 
As sete chaves de interpretação.
 
Holograma simbólico dos pais da humanidade.
 
Imagem insólita que a paleoarqueologia prefere esconder.

 
Os muçulmanos os chamam de gênios, por falta de uma melhor explicação.
 

 
Ilustração de Simeon Bem Yochai.


        

Escrito por Aloisio Santos FRC às 07h46
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

                                                                                                                                                           Holocausto 2012 – Os Rosa Cruzes e Maçons – Parte XIV
Aloisio Santos FRC – Escritor, Pesquisador de ocultismo e frater rosa cruz
aloisiosantos.frc@uol.com.br


Na última edição, mencionamos os fatos trágicos que levaram alguns milhares de cavaleiros templários a morte. Esses movimentos deram origem ao renascimento do rosacrucianismo, e da maçonaria em 1723. O intuito é transferir para a mente do leitor o designer apocalíptico, embrionado na loucura e devassidão humana, engendrado por mentes perversas ao longo da história.   - “Jacques De Molay, fostes vingado”! Os motivos que levaram as mortes desses homens foram os seguintes: o Papa Clemente V queria a tributação das riquezas dos templários para enriquecer ainda mais a Igreja.  Espoliaram o que conseguiram para salvar a pele do Rei Felipe, endividado pelas guerras da França.
    A providência afortunou uma facção restante desses templários, ao conseguirem escapar do martírio na fogueira da inquisição.  Refugiaram-se com o que restou das riquezas - Escócia, Inglaterra, Portugal, Suíça, Ilha de Chipre (Base templária) e outros países distantes, menos influenciados pelo domínio católico na Europa. Esta explicada a consequente indiferença dos mestres, com as trevas de mediocridade da baixa idade média. Logo após a fuga dos templários da França, a Escócia afastada do domínio católico desde a excomunhão do Rei Roberto, assistiu Sir Willian Sinclair outro grão mestre templário, terminar a construção da Capela de Rosslyn, projetada para ser a cópia fidedigna do templo de Salomão em miniatura. A sua arquitetura está repleta de simbologias de rituais, elementos esotéricos, e que dizem respeito somente aos iniciados, e sua construção é de uma perfeição singular. Contam às lendas que em seus recônditos e subterrâneos guardam-se segredos fantásticos, a respeito do “Santo Graal”, a “Pedra Filosofal”, e onde estariam guardados os tesouros do Rei Salomão, avaliados em quatrocentas toneladas do mais fino ouro das Minas de Sabá; coroas, cetros, objetos litúrgicos e o mais inacreditável: o lugar secreto onde estaria escondida a “Arca da Aliança”. Segredos alquímicos como a transmutação de metais, também faziam partes dessas lendas.
    Os cavaleiros cruzados templários eram monges guerreiros, dedicados em garantir o salvo conduto dos cristãos europeus em suas peregrinações a Jerusalém, “terra santa”, protegê-los de salteadores, hordas de guerreiros islâmicos e, o objetivo principal, a captura de Jerusalém sob o domínio do Islã. Ao conquistarem a cidade no ano de 1099, começou as escavações onde existia a construção do segundo templo judeu construído por Herodes “O Grande”. Este terreno abriga hoje a Mesquita De Omar sobre a Cúpula da Rocha, e tornou-se um espinho atravessado na garganta dos judeus que pretendem a área para a construção do 3º templo. O torrão religioso considerado sagrado pelos judeus, muçulmanos e cristãos, mais disputado do mundo. Acreditamos que mais interesse do que salvar das mãos dos muçulmanos, a cidade palco do martírio de milhares de sectários era o conhecimento das riquezas guardadas nos subterrâneos do templo. Essas riquezas foram acumuladas, desde que os mestres maçons construíram o templo de Salomão, liderados pelo grande Hiram Abiff, cuja existência alegórica, seria aquele que constrói a ponte entre o homem e o arquiteto do universo. Os sábios possuíam os conhecimentos velados da arquitetura das primeiras raças que habitaram a terra, aquelas que construíram no complexo arquitetônico de Gisé, a grande pirâmide, a esfinge, e outras obras fantásticas. O próprio Rei Salomão, que alguns sugerem não passar de um mito, porque jamais fora mencionado por Heródoto, o maior historiador da antiguidade, seria um dos iniciados nos Livros e Segredos de Thoth - maçonaria egípcia (Livro De Enoch ou Hermes). Podemos notar que existe um encadeamento de fatos históricos, para chegarmos ao interesse dos templários na manutenção da posse de Jerusalém, e na descoberta das relíquias e riquezas pertencentes às arcaicas fraternidades. Um mistério se esconde por detrás dessa arqueologia realizada pelos templários, porque algum tempo depois de iniciada as escavações, tornaram-se a facção mais rica da Europa e criaram o sistema bancário, inventando e instituindo o cheque como moeda de troca, cartas de crédito e empréstimos.
         Será que encontraram os tesouros de Salomão? A pedra filosofal? O Santo Graal?  Ou transmutavam metais comuns em ouro...?
As Escolas Filosóficas de Mistérios, particularmente rosa cruzes e maçons, tiveram recentemente suas histórias devassadas por pesquisadores e escritores dispostos a fazerem fortunas, explorando o inconsciente desse público sempre interessado em conhecer os mistérios da existência. Documentários em TV, livros e revistas, vêm mostrando a importância dessas fraternidades e tentando desvelar os seus segredos, principalmente nas suas correlações proféticas, a essa amargura mundial que se abateu sobre a humanidade concernente a 2012. Nós somos a soma de todos os erros cometidos pelas civilizações no decorrer desses milênios de guerras, intolerância e despotismo. Os seres humanos preferem ignorar as advertências, mas esse poder oculto mundial sabe o que está reservado para a raça humana. Não perca na próxima edição Holocausto 2012 – O Livro De Enoch.

 
Interior do templo rosa cruz da Loja São Paulo da Amorc.
 
Templo maçônico de Canterbury, Inglaterra, foto de 1902."The Masonic Temple" taken by H.B. Collis, from my old Canterbury book c.1902


 
Ilustração da maçonaria egípcia com seus cultos e mistérios.  
 
O esquadro e o compasso, símbolos que identificam o profícuo trabalho dos maçons. No esquadro, ícones das principais correntes religiosas mundiais.

 
A serpente que engole o próprio rabo. Símbolo da sabedoria sagrada. O triângulo da perfeição, e as alusões ao sol criador e o olho que tudo vê (onisciência).

 
Estampa da nota de um dólar. Talvez o símbolo mais significativo desse poder oculto mundial. Ironicamente não possui pátria e nem lugar.

 
Capela de Rosslyn
          Frente

                                             Pilar do aprendiz.














          






Escrito por Aloisio Santos FRC às 07h37
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

25/06/2010


  •                                                                                                                                                              Holocausto 2012 – Parte XIII – O Mistério Das Catedrais – Os Rosa Cruzes e Maçons
    Aloisio Santos FRC – Escritor, Pesquisador de ocultismo e frater rosa cruz
    aloisiosantos.frc@uol.com.com

    Antes de entrar no interessante livro de Enoch, julgo necessário falar um pouco de fraternidades que ainda vivem envoltas em véus de mistérios. As influências impactantes dos Rosa Cruzes e Maçons nos Mistérios Das Catedrais, e o conhecimento secreto proveniente do Livro de Enoch, Thoth ou Hermes, impulsionaram os adeptos na procura da construção do templo perfeito e nas revelações de um desfecho de ciclo, ao indicar o trágico Holocausto, descoberto por Fulcanelli na arquitetura das catedrais. Os primórdios das ordens secretas ainda permanecem obscuros, mas arrisco afirmar que são tão velhas quanto às origens do homem. Estou me referindo às fraternidades dos antigos: Hindus, Caldeus, Egípcios, Therapeuthys, Pitagóricos, Templários, Hospitalares etc... e não a essa maçonaria e rosacrucianismo fragmentados dos dias de hoje, como também a  maçonaria em particular, constituída  na Inglaterra em 1723. Na Doutrina Secreta, Blavatsky menciona que na época do Rei Salomão, a maçonaria já estaria relativamente desfigurada. A sabedoria secreta (Sofia) é o alicerce fundamental destes círculos emblemáticos, e notamos uma dicotomia entre esses conhecimentos e a era de trevas que se abateu sobre a Europa na baixa idade média. E, por que os mestres mantiveram-se alheios a esse caos medieval? Seriam uma facção da sociedade como nos dias atuais? É evidente como o são até hoje. Sempre foram aclássicos e excêntricos. Constituíram-se em fraternidades, estatutos, normas de conduta, e com sucessão discipular com origens imemoriais. Mestres ordenavam a discípulos e transmitiam os mistérios científicos e esotéricos, desde que o homem é homem. Mais à frente explicarei o porquê da omissão dos mestres para essa fase de obscurantismo, até que viesse a era da renascença e o iluminismo.                                                                                                                              Um plano diabólico e trágico, modificaria toda a história dos ocultistas ao longo da idade média. Esse foi o fator da indiferença dos sábios, ou talvez da impossibilidade de ajudar na evolução, consentindo com a ignorância daquela era de trevas. O Grão Mestre Jacques De Molay e Guy D'Alvergnie, dois dos mais elevados cavaleiros templários, foram conduzidos, envelhecidos e alquebrados, por sete anos de torturas nos calabouços e masmorras francesas ao cadafalso, onde após a confissão, lhes seria garantida morte rápida. No momento da execução, juntando todas as forças morais possíveis, ambos negaram a quantos ali assistiam todas as supostas heresias de que eram incriminados. A pena para tal comportamento, segundo as leis da Santa Inquisição era uma só: - Morte na fogueira! Só que depois das negações... Com bastante suplício e lentidão. Acusados injustamente de hereges, feiticeiros, adoradores do Baphomet, homossexualismo, heresias contra Cristo, adoração de objetos sacrílegos e cumplicidade com os maometanos. Estimam os historiadores modernos que, além desses dois homens, mais de 20.000 entre templários, judeus, cátaros, filósofos e outros hereges, foram condenados e incinerados vivos. Alguns, lentamente defumados nas brasas da fogueira do Tribunal do Santo Ofício, só nesse evento. O Rei Felipe De Valois IV da França cognominado “O belo”, o Papa Clemente V e Guilherme De Nogaret, três personagens que articularam a conspiração e a prisão dos templários em uma sexta feira, treze de outubro do ano de 1307, capturados às sete horas da manhã. Este evento tornou-se o motivo da superstição criada para este dia de mau agouro (sexta treze, o dia da prisão). Guilherme De Nogaret - ministro, juiz e gênio do mal da corte do rei - presidiu o julgamento e ordenou o encarceramento de todos os templários da França, sob as sentenças do rei e a conivência do papa. Foram sumariamente condenados e executados em dezoito de março de 1.314. Ao acenderem a fogueira ouviram de De Molay:
    - “Nekan, Adonai! Choal, Begoal! Papa Clemente... Cavaleiro Guilherme De Nogaret... Rei Felipe: - Intimo-os a comparecerem perante o tribunal de Deus dentro de um ano, para receberem o justo castigo. Malditos! Malditos! Todos malditos até a 13ª geração de vossas raças!” (Jacques De Molay).
    E, cumpriu-se a profecia de maldição: Em menos de um ano estavam os três mortos. Os três filhos sucessores de Felipe de Valois morreram sucessivamente de forma misteriosa, encerrando os 300 anos dos chamados reis Capetianos (Capets) denominados na França os reis malditos. Fatidicamente, o Rei Luis XVI era um descendente de Felipe O Belo e a Rainha Joana I de Champagne e Navarra, talvez fosse o décimo terceiro herdeiro da linhagem de Felipe... Os franceses contam uma lenda, que a cabeça do Rei Luis XVI, ao cair na cesta da guilhotina, um homem não identificado aproximou-se da máquina de matar e, mergulhou a mão no sangue do monarca, sacudindo-a no ar e gritara: - “Jacques De Molay, fostes vingado”! - As hierarquias do plano invisível não mais serão condescendentes com essa humanidade egoísta, estúpida e beligerante. Forças no universo já se arregimentam para conduzí-la ao grande dia do terror. “Não diga que não avisamos”  Não perca na próxima edição O Mistério Das Catedrais, O Livro de Enoch e  Os Maçons.

     

     

     





     




       




       

       

Escrito por Aloisio Santos FRC às 08h21
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

  •                                                                                                                                                              Holocausto – 2012 – Parte XII – A Guinada Magnética
  • Aloisio Santos FRC, Escritor, pesquisador de ocultismo e frater rosa-cruz
  • aloisiosantos@hotmail.com
  • Guinada magnética ''move'' o Pólo Norte
  • Buracos no campo magnético do planeta sugerem que os pólos podem ''trocar'' de lugar
  • Jonathan Leake
  • The Sunday Times
  • LONDRES - O Pólo Norte está de mudança. Cientistas encontraram grandes buracos no campo magnético da Terra, sugerindo que os Pólos, Norte e Sul, estão se preparando para trocar de posição numa guinada magnética. Um período de caos poderia ser iminente, no qual as bússolas não mais apontariam para o Norte, animais migratórios tomariam o rumo errado e satélites seriam queimados pela radiação solar. Os buracos estão sobre o sul do Atlântico e do Ártico. As mudanças foram divulgadas depois da análise de dados detalhados do satélite dinamarquês Orsted, cujos resultados foram comparados com dados coletados antes por outros satélites. A velocidade da mudança surpreendeu os cientistas. Nils Olsen, do Centro para a Ciência Planetária da Dinamarca, um dos vários institutos que analisam os dados, afirmou que o núcleo da Terra parece estar passando por mudanças dramáticas. - Esta poderia ser a situação na qual o geodínamo da Terra opera antes de se reverter, diz o pesquisador. O geodínamo é o processo pelo qual o campo magnético é produzido por correntes de ferro derretido, fluindo em torno de um núcleo sólido. Às vezes, turbilhões gigantes formam-se no metal líquido, com o poder de mudar ou mesmo reverter os campos magnéticos acima deles. A equipe de Olson acredita que turbilhões se formaram sob o Pólo Norte e o sul do Atlântico. Se eles se tornarem fortes o bastante, poderão reverter todas as outras correntes, levando os pólos Norte e Sul a trocarem seus lugares. Andy Jackson, especialista em geomagnetismo da Universidade de Leeds, Inglaterra, disse que a mudança está atrasada: ''Tais guinadas normalmente acontecem a cada 500 mil anos, mas já se passaram 750 mil desde a última'‘. O ponto zero e as mudanças das eras do Calendário Maia. Profecias ancestrais e diversas tradições indígenas anteviram o fenômeno. Mas agora para surpresa de muita gente, é a própria ciência que começa a reconhecer importantes mudanças no campo magnético e na frequência vibratória da Terra. Focamos o trabalho do geólogo norte-americano Greg Braden, o maior estudioso do fenômeno. Braden trabalha a partir da interface ciência esoterismo, autor do livro  "Awakening to Zero Point” (Despertando para o Ponto Zero). Greg Braden está constantemente viajando pelos Estados Unidos e marcando presença na mídia, demonstrando com provas científicas que a Terra vem passando pelo Cinturão de Fótons, e que há uma desaceleração na rotação do planeta. Ao mesmo tempo, ocorre um aumento na frequência ressonante da Terra (a chamada Ressonância de Schumann). Quando a Terra perder por completo a sua rotação e a frequência ressonante alcançar o índice de 13 ciclos, nós estaremos no que Braden chama de Ponto Zero do campo magnético. A Terra ficará parada e, após dois ou três dias, recomeçará a girar, só que na direção oposta. Isto produzirá uma total reversão nos campos magnéticos terrestres. Braden lembra que o Ponto Zero ou a Mudança das Eras vem sendo predito por povos ancestrais há milhares de anos. Ao longo da história do planeta, têm acontecido muitas transformações geológicas importantes, incluindo aquelas que ocorrem a cada (12934) anos, precisamente na metade dos 25.868 de Precessão dos Equinócios. Afirma-se que depois do Ponto Zero o sol nascerá no oeste e se colocará no leste. Ocorrências passadas, deste mesmo tipo de mudança, foram encontradas em registros ancestrais. O Calendário Maia, destaca Braden, predisse todas as mudanças que estão ocorrendo agora. Os seus textos afirmam que estamos indo além da tecnologia e voltando aos ciclos naturais: os da Terra e os do Universo. De qualquer forma, para os céticos, que obstinadamente negam este futuro científico, eis os conselhos do sábio Sacerdote Atlante RA-UM: - Quando a estrela BAAL caiu no lugar, onde hoje só existe céu e mar, os dez países, com suas Portas de Ouro e Templos Transparentes, estremeceram como se fossem as folhas de uma árvore sacudida pela tormenta. Eis que uma nuvem de fogo e fumaça se elevou dos palácios. Os gritos de horror lançados pela multidão enchiam o ar. Todos buscavam refúgio nos templos, nas cidades, e o sábio UM apresentando-se, lhes falou: ''Não vos predisse eu todas essas coisas?'' Os homens e mulheres cobertos de luxuosas vestes e pedras preciosas clamavam: - Ra-Um, nos salva! Ao que replicou UM: - Morrereis com vossos escravos, vossas riquezas, e de vossas cinzas surgirão outros povos. Se eles, porém, vos imitarem, esquecendo-se de que devem ser superiores, não pelo que adquirirem, mas pelo que oferecerem a mesma sorte lhes caberá. O mais que posso fazer é justamente morrer convosco. Não tivestes dignidade para viver, tenham pelo menos dignidade para morrer. As chamas e o fumo afogaram as últimas palavras de UM que, de braços abertos para o ocidente desapareceu nas profundezas do oceano com 64 milhões de habitantes do imenso continente. Na próxima edição voltaremos aos Mistérios das Catedrais e O Livro De Enoque.
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

Escrito por Aloisio Santos FRC às 08h13
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

  •  
    •                                                                                                                                                       Holocausto 2012 - Parte XI – O Mistério Das Catedrais
      Aloisio Santos FRC - Escritor, Jornalista, pesquisador de ocultismo e Frater Rosa Cruz.
      aloisiosantos.frc@uol.com.br
      Alguns homens ao longo da história se notabilizaram através de um conhecimento oculto que intrigam a maioria dos pesquisadores atuais. Não citarei as centenas deles, mas alguns importantes: - Leonardo Da Vince, Michel Nostradamus, Isaac Newton e Fulcanelli. Esses homens, entre outros, parecem que obtiveram o privilégio de acessar mistérios escondidos a maioria dos mortais. Dan Brown, no seu livro O Código Da Vince, explorou muito bem esse aspecto místico de suas vidas ligando-os a esses círculos secretos, e extrapolou no caso de Leonardo, afirmando que seria mestre de uma ordem secreta denominada Priorado de Sião, que se tornou um dos maiores engodos dos nossos tempos. O que a intuição de Brown acertou em cheio foi no fato de que o segredo permeava a vida destes homens, e é mais do que provável que estariam associados aos Rosa Cruzes e Maçons. As obras enigmáticas de Da Vince tipificam bem esses mistérios, demonstrando um conhecimento das forças da natureza amedrontador e que, transferiu para suas pinturas em formas de enigmas. Devemos nos lembrar que o Tribunal Do Santo Ofício não dava tréguas aos profetas independentes, adivinhadores e quem lhes fizessem concorrências, por essas razões escreveu e pintou através de segredos, indicando o fim do mundo para a humanidade. Agora os leitores se perguntarão como saltei da história dos Maias para os Maçons? Citei em edição anterior que, em torno de 16 seguimentos proféticos de culturas totalmente diferentes e distantes, convergem para esse terror em 2012. Só para citar alguns: - Maias, Egípcios, Hindus, Caldeus, Hopis, Cherokees e etc. O que os maçons trazem em comum com esses seguimentos é a soma dos conhecimentos secretos mencionados antes, além das profecias de destruição do nosso ciclo, largamente difundidas e esculpidas nas fachadas e interiores das catedrais, monumentos e outras obras européias, como descobriu no início do século passado o sábio ocultista Fulcanelli, que deixou uma importante obra: “O MISTÉRIO DAS CATEDRAIS”. Presume-se que Fulcanelli, descobriu os segredos alquímicos de Hermes, e nas formas esculpidas nas paredes, fachadas, torres, colunas e arcos das catedrais, os segredos de mistérios pertinentes ao Holocausto Final. Percebeu que aqueles relevos encerravam mensagens fantásticas da epopéia humana, gravadas na consciência ou matriz universal, descritas no Livro de Enoche, desde antes da fundação do mundo. As cenas que pode admirar em seu transe de mestre, mostravam o destino do mundo e a vitória final do Cristo sobre o mal e a morte. Essa ressurreição conhecida dos egípcios há milhares de anos atrás, e simbolizada em seus rituais, até despencar na magia negra, nas crenças idolatras e na mumificação dos cadáveres. Ao chegar à noite do fim dos tempos, a escuridão tenebrosa tomará conta da terra. Sentiremos a ausência do sol. Os cães uivarão melancólicos e ininterruptamente, os gatos gemerão seus lamentos e, a natureza inteira se revoltará e rejubilará contra aquele que não lhe concedeu o devido respeito: O Homem. Não perca na próxima edição deste jornal – Parte XII – A continuação do Mistério das Catedrais e o Livro de Enoche.
       
                                                                                                                                                                  O Homem Vitruviano, proporções cosmogônicas. Obra de Leonardo Da Vince sobre as medidas e proporcionalidades humanas e, a simbologia esotérica dentro do quadrado e do círculo.
       
      O atelier do mestre. O Forno de Muladhara de transmutação dos metais em ouro, simbologia do Chakra de transformação do conhecimento interior. Ilustração do misterioso Fulcanelli que ninguém sabe ao certo quem foi.
       
      Livro da Editora Madras pg. 85. Reparem no sumopontífice segurando a própria cabeça.

       

       
      As naves interiores têm o formato vertical em U, simbolizando o útero da virgem primordial. As torres longilíneas são uma homenagem ao falo, o princípio criador masculino representado pelo Deus Sol Pai. Ao centro da nave a figura do Cristo e sua vitória sobre a morte. As cenas esculpidas em altos e baixos relevos na arquitetura, contam eventos do final dos tempos.
       

      Monstros bizarros e alegóricos nas catedrais góticas, cujas representações pertinentes aos finais dos tempos só os iniciados conhecem.

       

      Portal da Catedral de Salon-De-Provence, os símbolos na fachada passariam despercebidos ao leigo, mas não aos iniciados. Esses monumentos desta região do sul da França, onde viveu e faleceu Nostradamus, influenciaram-no e foram decisivos na sua missão de escrever as Centúrias.

       

      São João Batista de Leonardo Da Vince. Pintura enigmática que parece indicar que o único caminho a seguir é Cristo. O Abraço a cruz é um apelo aos seres humanos, e os cabelos encarolados como nas demais pinturas do mestre, sugerem o medo aterrador do poder das águas e do seu enorme poder destruidor. Os contrastes entre luz e sombra em tons de fogo, indicam os prenúncios que aguardam essa pecadora humanidade. As dobras do manto de pele de camelo, também indicam as revoluções geológicas pelas quais passará o planeta terra. 



Escrito por Aloisio Santos FRC às 07h56
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

31/05/2010


  •                                                                                                                              Holocausto 2012 – A 4ª, 5ª, 6ª e 7ª Profecia Maia
  • Aloisio Santos – Escritor, Jornalista e Pesquisador de ocultismo
  • aloisiosantos@hotmail.com

  • Os experts em profecias Maias afirmam que, na realidade, não existem sete, mas uma só. É por essa razão que sintetizarei as quatro profecias finais para inaugurar um novo capítulo em Holocausto 2012. A 4ª profecia - Nesta mensagem, uma onda de calor provocaria o derretimento do gelo nos pólos. De acordo com essa profecia é o tempo regenerativo da natureza no planeta. O aterrador é a menção de que as costas marítimas serão inundadas e os milhares de pessoas que vivem perto dos mares correrão sérios riscos. 5ª - Esta é de alerta e se não nos compatibilizarmos com os ritmos ecológicos da natureza antes de 2012, todos os sistemas sobre os quais está alicerçada nossa civilização entrarão em colapso: a informática, a eletricidade, os sistemas políticos econômicos e as religiões. As explosões de plasma solar desligariam indefinidamente todos os sistemas eletro-eletrônicos. A nossa sociedade está perigosamente fundamentada sobre a tecnologia como pedra angular.  Ao restar alguma coisa depois desses colapsos, o homem perceberá a necessidade de reorganizar a sociedade de um modo mais equilibrado e menos competitivo. 6ª – Previne a aparição de um corpo celeste que transformará sistematicamente nosso planeta. A partir dos seus cálculos, os Maias asseguravam sobre a alta probabilidade de esse corpo provocar profundas alterações no sistema geofísico. O alento é o possível desvio de sua trajetória por meios físicos ou psíquicos, sugeridos por eles. 7ª - Nesta sétima profecia, os Maias nos deixaram uma mensagem de esperança. Orientaram que, através de esforços mundiais, poderíamos obter harmonia, paz coletiva e individual. Desenvolveríamos novos sentidos e integrá-los-ia ao funcionamento do universo. Dessa forma, reduziríamos os efeitos extensivos anunciados por outras profecias e renasceríamos em uma nova era: "a era da luz". O surpreendente em tudo isso é a possível quebra do sistema financeiro mundial. Em minhas matérias, trato de eventos imponderáveis que poderão ocorrer ou não. O ilustre ex-ministro de vários governos, Delfim Neto, que em minha modesta opinião é um dos maiores analistas econômicos financeiros mundiais e colaborador deste jornal, tem deixado nas entrelinhas de suas matérias que acompanho avidamente, impressões claras que essas derrocadas dos mercados mundiais e dos desastres econômicos não estão longe de ocorrer. É óbvio que, o ilustre e competente economista, não arriscaria sua brilhante reputação, colocando-se na posição de profeta ao marcar o dia e a hora para que esses colapsos ocorram. Ao exercitarmos um pouco nossa sensibilidade ao lermos o que escreve, percebemos que seus instintos parecem anteceder uma extraordinária visão profunda do caos econômico financeiro em que o mundo está prestes a submergir. E como disse Nostradamus em uma de suas centúrias: - “Chegará o dia em que o simulacro do ouro e da prata será queimado em praça pública”. Referia-se ao dinheiro como imitação simbólica das antigas moedas de troca em forma de ouro e prata. O dia em que o ser humano for ao açougue e tentar pagar a carne com o dinheiro e ouvir do açougueiro: - Prefiro que pague com um quilo de pão! Estará estabelecido o princípio do fim do sistema capitalista. Não perca na próxima edição deste jornal Holocausto – 2012 – O Mistério Das Catedrais e O Livro de Enoque.

 

Escrito por Aloisio Santos FRC às 09h10
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

28/05/2010


  •                                                                                                                                 Holocausto 2012 - Parte IX - A Terceira Profecia Maia

    Aloisio Santos FRC - Escritor, Jornalista, pesquisador de ocultismo e Frater Rosa Cruz.
     Aloisiosantos.frc@uol.com.br

  • A terceira Profecia – Esta mensagem diz que uma onda de calor elevará a temperatura do planeta ocasionando mudanças climáticas, geológicas e sociais de efeitos imprevisíveis e progressões velozes. Os Maias disseram que esse aquecimento se dará por vários fatores. Alguns atribuídos aos humanos que, incompatíveis com a natureza acarretam os processos destrutivos. Outros, gerados pelo sol que ao acelerar e intensificar suas explosões em seus ciclos de hiperatividade produz mais radiação aumentando a temperatura da terra. Os cientistas não conseguem descobrir, porque a corona solar intensificou sua temperatura assustadoramente na última década.  Não há inocentes debaixo do sol e... Cada humano tem parcela de culpa nessa autodestruição. As mudanças já estão presentes, mas associadas a uma sensação de tempo desconcertante nos adaptamos e nem percebemos. Não desgastarei os leitores descrevendo os desvarios que nos trouxeram a esses desastres ecológicos, pois estão saturados de acompanharem na mídia as notícias afeitas a esses desastres ambientais. É difícil escrever estas páginas me colocando na posição de arauto do sinistro, mas necessário se faz lembrar que esse fundo de poço não é novo, e que civilizações de passados imemoriais já desceram até ele e, acabaram submersos no fundo do abismo. Essa é a razão dos alertas deixados pelos sobreviventes ao tentarem preservar seus descentes. A memória da humanidade é curta, nos assustamos a priori com as advertências, mas rapidamente retornamos à desvairada competição, alimentando nosso egoísmo, o desejo de enriquecer, a busca do poder para escravizar nossos semelhantes e a continuidade depredatória  da natureza. Pobre humanidade tola e insensível que não se detém nas premissas dos sábios. É como o filho que despreza os bons conselhos dos pais. Existem dezesseis seguimentos proféticos convergindo para o caminho do inferno em que a humanidade está prestes a mergulhar, desde as Profecias Maias, passando pelos Profetas Bíblicos e culminando em Nostradamus entre outras fontes. Em meu subconsciente posso visualizar os semblantes atônitos de bilhões de seres humanos, ao chegar à escuridão defrontando-se com o holocausto. Assisto como no atentado as torres gêmeas do WTC, em que o mundo parou estarrecido não acreditando em seus próprios olhos.   Logo após, a terra irá cambalear pelo firmamento e a sensação que as estrelas estarão bailando no espaço. Em seguida o céu se tingirá com a cor do sangue do cordeiro e o granizo vermelho impregnará a atmosfera. Lamentos, gritos lancinantes, gemidos, dores e ranger de dentes ao presenciarem o vento incendiário nos céus e a morte de seus entes queridos. Terremotos infindáveis, Furacões, Erupções vulcânicas, Meteoros, Tsunamis avassaladores e submersão de continentes inteiros levarão muitas civilizações ao fundo do abismo. Não sou tolo de afirmar que estas coisas acontecerão em 2012, mas tudo indica que sim e, se não for nesta data, ocorrerá em um futuro muito breve, cujo dia e hora para acabar pertence ao crepúsculo dos deuses. Não perca na próxima edição Holocausto – 2012 – A Quarta Profecia Maia.
  •  
  •                                         

Escrito por Aloisio Santos FRC às 09h01
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

17/05/2010


        

  • Holocausto 2012 - Parte VIII
  • Aloisio Santos FRC - Escritor, Jornalista, pesquisador de ocultismo e Frater Rosa Cruz.
  •  aloisiosantos.frc@uol.com.br
  • A Segunda Profecia Maia, prenunciou que o comportamento de toda a humanidade mudaria rapidamente a partir do eclipse solar de 11 de agosto de 1999. Seriam treze anos de mudanças rápidas até o final de 2012.  Nesse dia especial povos da Europa e da Ásia deslumbraram um anel de fogo que recortava o céu. Esse eclipse sem precedentes na historia resultou do alinhamento da esfera da terra e os planetas do sistema solar, além do cruzamento de 4 constelações. O significado deste eclipse do ponto de vista astrológico está no fato de não apenas estar citado nas centúrias de Nostradamus como no fato de manifestar um raro fenômeno no cosmos que é a formação de uma "Cruz Cósmica" no céu. Saturno esteve no signo de Touro; Marte no signo de Escorpião; Urano no signo de Aquário; e o Sol e a Lua no signo de Leão. Os fenômenos mostraram-se como uma sombra que a lua projetou sobre a terra, ao atravessar a Europa, Oriente Médio, Irã, Iraque, Paquistão e Índia. A sua sombra nefanda parecia prenunciar áreas de conflitos, desastres e guerras. Os Maias visualizaram que desse eclipse em diante, os homens perderiam o controle sobre todas as instituições e mais ainda sobre a natureza. Surgiriam hostes da escuridão espiritual, farsantes que pretenderão obter lucro econômico à custa do desespero alheio antes e durante o holocausto.  Essa transformação que se dará em 2012, é uma época de transições, aprendizagens, guerras, desuniões, e loucuras generalizadas em processos de sofrimentos e colapsos mundiais. A interferência nas mudanças plasmáticas solares e transformações psíquicas nos seres humanos modificarão sua forma de pensar e de sentir. Após o Holocausto, esta profecia sugere que a energia que receberemos do centro de respiração da galáxia aumentará e acelerará a vibração em toda a terra para conduzir a uma maior perfeição.  Haverá harmonia nos relacionamentos humanos, ao se restabelecerem o amor, a misericórdia e a justiça. O fogo predito por Jesus Cristo, que haveria sido aceso milênios antes da sua 1ª vinda, explodindo na intolerância, injustiças e nas dissenções sociais, seria definitivamente extinto. Entidades celestiais de altíssimos níveis de evolução estarão entre os humanos, e auxiliarão nas relações sociais. Os Maias previram que cada ser humano será seu próprio e severo juiz, lançando-se a introspecção.  A separação entre o joio e o trigo será natural entre aqueles que optarem viver em uma nova era de paz e luz. Na época das transições e dos tempos, as opções estarão disponíveis, sem censura de nenhum tipo, e os valores morais serão mais amenos que outrora, para que cada um se manifeste livremente como é. A 2ª profecia previne que se a maioria mudar seu comportamento e se compatibilizar com o planeta, as transformações destruidoras que estão nessas profecias serão amenizadas. O livre arbítrio mais do que nunca mostra que o ser humano decide seu próprio destino. As profecias são apenas alerta para que alcemos consciência da necessidade de correções de rumo para evitar que isso se torne realidade. Não perca na próxima edição deste jornal Holocausto – 2012 A 3ª Profecia Maia.
  •  
  • Eclipse de 1999 e o anel de fogo que se formou ao redor da Lua.
  •  
  • Cruzamento cósmico que representa os 4 evangelistas e os 4 anjos do apocalipse.
  •  
  • Observem no centro da figura a língua de fogo expelida pelo sol, em alusão as explosões de plasma de massa coronária previstas para 2012. 
  • Calendário do Sol Maia
  •  

  •  

 

Escrito por Aloisio Santos FRC às 08h27
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

14/05/2010


  • Holocausto - 2012 - Parte VII
  • Aloisio Santos FRC - Escritor, Jornalista, pesquisador de ocultismo e Frater Rosa Cruz.
     Aloisiosantos.frc@uol.com.br

  • Os fantásticos Maias nos legaram uma mensagem escrita em pedra que contém sete profecias. Uma parte de alerta e outra de esperança.  1ª Profecia – Mensagem sobre o final do medo. Previne que o nosso mundo de ódio e materialismo terminará na sexta feira (Dia de Vênus) 21 dez 2012. A humanidade deverá escolher, entre extinguir-se como civilização devastadora do planeta, ou evoluir para a harmonia paradisíaca. Ao compreendermos que tudo permanece vivo e consciente, seremos parte desse todo e poderíamos existir em uma era de luz. Através dessa profecia, em 21 dez 2012, o sol receberá um raio que, sincronizado ao centro da galáxia, iniciaria um novo ciclo. Previram o fim do mundo do materialismo e destruição em que vivemos, e o início de uma nova etapa de respeito e harmonia. Também nos fala do "tempo do não-tempo", um período de 20 anos chamado Katun. Profetizaram que nesta época, desde 1992 até 2012, manchas de explosões coronárias cada vez mais intensas apareceria no sol. A humanidade entraria num último período de aprendizados e sofrimentos, de grandes transformações ocasionadas pela nossa própria cultura egocêntrica, depredatória e poluidora do planeta. Essa profecia diz que, essas mudanças irão acontecer, para que compreendamos melhor como funciona o universo e para que avancemos a níveis superiores, deixando para trás o materialismo e por sua vez o sofrimento. O livro sagrado Maia CHILAM BALAM diz que no 13° Ahau no final do último katun (2012) o Itza (povo) será arrastado e rodará Tanka (a terra) (as civilizações serão destruídas) haverá um tempo em que desaparecerão na escuridão e depois os homens do sol virão trazendo sinais promissores para os sobreviventes. A terra despertará pelo norte e pelo poente, (mais uma alusão ao nascimento do sol no oeste) o Itza despertará. Disseram os Maias, que as palavras de seus sacerdotes seriam escutadas por todos nós, como orientações para um novo alvorecer.  Nunca antes, houve tanta perplexidade no mundo quanto agora, por influência desses povos. Eles falam dessa época como o tempo em que a humanidade entrará no universo dos espelhos. Época de transições, para que o homem enfrente a si mesmo. Época em que irão rever e analisar seu próprio comportamento, respeitando o semelhante e o planeta onde vivem. Um período para que toda a humanidade, por decisão consciente de cada um, decida evoluir, eliminar as superstições, a ignorância, o medo e a falta de respeito em todas as nossas relações. Os cientistas são céticos quanto aos profetas, mas o consenso entre eles é que em 2012, as atividades solares se intensificarão como jamais ocorreu nos últimos séculos, e nem mesmo todo esse cientificismo consegue quantificar todas as consequências.  Não perca na próxima edição desse jornal Holocausto – 2012 – 2ª Profecia Maia.

  • Pirâmide de Kukulkan. Chamada também de a pirâmide do sol. Sua construção está identificada com todos os movimentos heliocêntricos e suas correlações matemáticas e astronômicas permitiam os sincronismos dos calendários maias.
  •  
  • De quem estamos falando afinal? De uma civilização com tecnologia para construir esses colossos de pedra. Merecem nosso respeito e admiração e seria prudente prestar atenção em seus conselhos.
  •  
  • Calendário do Sol. Ao centro a carranca diabólica do sol e a língua de fogo que é uma alusão as explosões coronárias solares.. Sugestivo?
  •  
  • Catacumbas maias. Semelhanças com os sarcófagos egípcios impressionantes, além das ciências e construções piramidais. Aliás, esses dois povos têm muito em comum, heranças das descendências Atlantes.

 

Escrito por Aloisio Santos FRC às 08h11
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

13/05/2010


  •                                                                                                                                                                                                  Holocausto 2012 - Parte VI
  • Aloisio Santos FRC - Escritor, Jornalista, pesquisador de ocultismo e Frater Rosa Cruz.
  •  Aloisiosantos.frc@uol.com.br
  • O Brasil assistiu impotente, a última tragédia que se abateu sobre o Rio de Janeiro. Com a morte de centenas de pessoas e milhares de desabrigados, o tempo implacável avança em direção a 2012. Quanto mais nos aproximamos, maiores serão as consequências da devastação da natureza. “A Natureza não se defende, mas se vinga”. O Código de Dresden- Profecias Maias, Calendário traduzido na Alemanha em 1.880, viria confirmar as afirmações de Blavatsky ao se revelarem o mesmo ciclo de 25868 anos divididos em tuns, bactuns e katuns, com prognósticos de grandes mudanças e o despontar de uma nova era, em pleno século XXI. O Código de Dresden é assim denominado, porque foi traduzido na Sächsische Landesbibliothek (Biblioteca Estadual).  Levou o nome da cidade de Dresden, e lá ficou preservado.  Ele narra a existência de quatro mundos anteriores (raças), construídos e destruídos por Eões   ou “Ajustadores”, responsáveis pela construção da natureza no planeta Terra. O segundo foi habitado por Eões inferiores e terminou da mesma maneira, assim como o terceiro, quarto e seria o quinto, povoado pelos Maias, descendentes diretos dos Atlantes da quarta raça. A chegada dos espanhóis aconteceu no transcurso do quinto mundo (5ª raça ou a atual), que também seria destruída por cataclismos devastadores.  Descobriu-se que o Código foi concebido com conhecimentos astronômicos, apresentando detalhadas tabelas de eclipses da Lua, Sol e outros fenômenos. Foi encontrada também a evidência de um misterioso número (1.366.560 dias), o qual poderia ser fatorizado nos dois ciclos anuais usados pelos Maias, os sagrados calendários: o civil tzolkin de 260 dias; (um período de gestação humana) e o outro religioso, o Haab de 365 dias. O Haab de 365 dias é dezessete segundos mais exatos do que o nosso pobre calendário gregoriano. Descobrimos essa deficiência, só depois da invenção dos relógios atômicos. Os Maias dividiram o tempo dentro do tempo, sintetizaram todos esses calendários e estabeleceram um ciclo de 5126 anos que começou em 3114 A/C e encerrar-se-á em 21 de dezembro de 2012. Descobriram a precessão dos equinócios, ou seja, em determinados períodos de tempo, o eixo magnético do planeta Terra avança um grau em relação às constelações do zodíaco. A Precessão é a mudança gradual da direção do eixo de rotação da Terra. O Calendário Venusiano Maia, também é de uma precisão inigualável, e aí passamos a nos perguntar: _ De onde obtiveram esses conhecimentos astronômicos? _ Como poderiam desenvolver cálculos matemáticos e astronômicos complicadíssimos em um espaço de tempo tão curto como civilização? _ De onde obtiveram o conhecimento do zero e números da ordem de milhões, enquanto seus contemporâneos romanos e gregos não contavam além de 10.000? Mostraram claramente, que a Terra é apenas uma engrenagem desse fantástico relógio cósmico que chamamos universo.
  •  Não perca na próxima edição a história do Código Dresden – Profecias Maias, parte VII.

Escrito por Aloisio Santos FRC às 10h36
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Perfil



Meu perfil
BRASIL, Homem, Portuguese, English, Livros, Casa e jardim, filosofia,existencialismo e religiões
MSN -

Histórico